segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Minas Gerais: Acidente de carro do Ceará mata médica de BH e a sobrinha


Morreram domingo no Ceará, vítimas de acidente, no km 17 da rodovia estadual CE-085 (Rota do Poente), a médica mineira Maria Ester Massara Café, de 53 anos, e a sua sobrinha Laura Massara Joanes, de 28, residentes em Belo Horizonte. Elas retornavam a Fortaleza, depois de férias na praia de Jericoacara, quando o veículo de turismo Toyota Hilux, placa HYR-1506, em que viajavam, foi atingido pela caminhonete Ford-250, placa HXJ-6566. O marido de Ester, o engenheiro da Cemig, Fernando Café, de 55, e o sobrinho dela, Nathan Massara Joanes de 20, não sofreram ferimentos. Morreu também o motorista do Hilux, Davi Nascimento Mendes, de 21 anos. O acidente ocorreu às 10h, no município de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). À tarde, o grupo retornaria, de avião, para BH.
De acordo com familiares, foi enviado um helicóptero a Fortaleza para trasladar os corpos, que devem chegar nesta segunda-feira a Belo Horizonte. De acordo com informações, Ester, que viajava no banco de trás, e o motorista da Hilux morreram na hora. A terceira vítima, Laura Massara Joanes, ainda foi transportada em um helicóptero da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) para o Instituto Dr. José Frota (IJF-Centro), mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.
Segundo o subtenente Francisco Monteiro, da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), a F-250, que trafegava no sentido Caucaia/Litoral Oeste, tentou fazer uma ultrapassagem indevida naquele trecho da rodovia e acabou batendo de frente com a Hilux, que vinha no sentido oposto. O condutor da F-250, José de Arimatéia Lima, de 55, foi levado para a Delegacia Metropolitana de Caucaia, onde prestou depoimento e ficou detido. Ele deve ser autuado em flagrante por triplo homicídio culposo (em que não há intenção de matar).
Dedicação
Maria Ester Massara Café, de 53 anos, era natural de Belo Horizonte, onde estudou medicina na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especializando-se em dermatologia. Além da dedicação à carreira, a médica ocupou vários cargos institucionais, entre eles a presidência da Sociedade Brasileira de Dermatologia/seção Minas Gerais (SBD/MG), direção da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG) e do Conselho Regional de Dermatologia (CRD/MG). Era filha de Francisco (falecido) e Olímpia Fiorini Massara, de 97 anos, e irmã da advogada Lúcia Massara, reitora da Faculdade de Direito Milton Campos, em Belo Horizonte, Maria Celeste, Maria Regina, Terezinha, Francisco e Maria de Lourdes.
Além do amor à profissão e à família, que tem origem na histórica Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Maria Ester era apaixonada por viagens de aventura pelo Brasil e países onde pudesse praticar mergulho em alto mar ou escalar montanhas. No ano passado, depois de se preparar durante mais de um ano com treinamento, Ester, ao lado do marido Fernando e de um grupo de amigos, participou de uma expedição até o topo (5.895 metros de altitude) do Monte Kilimanjaro, que fica no Norte da Tanzânia, na África.
Em reportagem publicada pelo Estado de Minas ela contou, com humor, que “depois de passar quatro dias caminhando montanha acima, com a higiene pessoal limitada aos wash-wash (banhos de bacia), enquanto o frio e o cansaço aumentavam e o oxigênio e a pressão do ar diminuíam, confesso que eu só cochilei lá no topo da montanha”.
Estado de Minas

Um comentário:

Anônimo disse...

vouuuuuuuuuuuuu pegar esse cara da f25o esse baitola matouu meu amigo !!!!!!
:( entao deixa ele aparecer por aki !!!